Assembleia garante recursos para curso de formação de remanescentes de concurso da PM

Assembleia garante recursos para curso de formação de remanescentes de concurso da PM

 Governo convoca para academia e ingresso à tropa vai ocorrer à medida que vagas forem abertas com aposentadorias

A Assembleia Legislativa irá destinar recursos de seu orçamento deste ano, para que o Estado convoque para a academia os remanescentes do concurso realizado em 2014, para a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. Os recursos vão cobrir os custos da academia, com a possibilidade de ingresso à tropa somente em 2019.

A garantia foi dada na manhã desta terça-feira (22), durante reunião no Palácio Rio Madeira, em Porto Velho. O presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (MDB), e os deputados Hermínio Coelho (PDT), Jesuíno Boabaid (PMN), Anderson do Singeperon (Pros) e Léo Moraes (Podemos) reuniram-se com o governador Daniel Pereira (PSB) e dezenas de remanescentes do concurso, quando ficou definida a liberação do recurso.

"Vamos fazer um esforço em conjunto, cortando na própria carne, para que possa ter essa sobra orçamentária, que permita assegurar a academia de vocês, que esperam ansiosos por esta convocação. Por outro lado, a sociedade precisa de mais policiais nas ruas, dando mais segurança e inibindo a criminalidade", explicou Maurão.

O presidente ressaltou que os deputados sempre se posicionaram favoráveis à convocação dos remanescentes, por entenderem que é importante o reforço no efetivo da Polícia Militar. "Trabalhamos junto ao Governo, intermediamos um acordo que foi assinado em ata e hoje estamos aqui para assegurar os recursos para a academia, já que o Governo alega não ter capacidade orçamentária para a convocação para a academia", completou Maurão.

Pereira declarou que o Estado tem avançado, com a implantação do Termo Circunstanciado, mas é necessária a presença dos policiais nas ruas.

"O custo do curso de formação bancado pela Assembleia, vai ser importante para garantir que todos sejam convocados. Mas, quero deixar claro que a efetivação na tropa se dará à medida que forem abertas vagas, com a ida de policiais para a reserva remunerada, abrindo folga no orçamento que permitam a reposição do efetivo", observou o governador.

Atualmente, a PM de Rondônia tem cerca de 5 mil policiais na ativa. Da fase inicial de inscrição até o policial militar estar na rua atuando, demoram em média dois anos. "A academia duraria até o final do ano e somente em 2019 é que esses policiais estariam atuando nas ruas", acrescentou Boabaid.

Fotos: Diego Queiroz

Autor / Fonte: Eranildo Costa Luna

Leia Também

Loading...