Editorial – Cassol, que já sangrava, agora tem hemorragia eleitoral após decisão do STF

Porto Velho, RO – Não há dúvidas de que o senador da República Ivo Narciso Cassol (PP) seja um político popular com eleitorado amplo, fixo e protecionista, pois, de fato, não larga o osso.

Mas ainda que o cenário esteja bem desenhado neste sentido para o ex-governador de Rondônia é necessário recordar algumas situações. A primeira delas, óbvia: a condenação por fraudar licitações em 2013, fantasma que o segue de lá para cá, influenciando drasticamente, inclusive, em sua precária performance legislativa.

Em maio deste ano, Rondônia Dinâmica publicou “Ivo Cassol é o pior parlamentar do Brasil”, registro feito com base nos dados colhidos pelo Ranking Político.

Em cinco meses, Cassol “melhorou” e agora é, somente, o segundo pior congressista brasileiro, à frente apenas do senador Lindbergh Farias (PT/RJ).

Na última semana, Narciso, que estava apagado, voltou com tudo à mídia: para tanto, utilizou o adversário Acir Gurgacz, do PDT, como escada, obtendo sucesso na empreitada.

Além disso, para coroar de vez a já combalida vida pública do progressista, a Globo News destacou que este irá responder a mais oito ações de improbidade administrativa.

Ah, mas é só isso?

Não!

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, na última quarta-feira (04), aplicar a Lei da Ficha Limpa a políticos condenados por abuso antes de 2010. Se a própria condenação patrocinada pelo Supremo já tinha condão de fazê-lo sangrar, impondo sérias dúvidas à população quanto à possibilidade de postular qualquer cargo eletivo, imagine agora!  E ainda que o faça – e na melhor das hipóteses reste vencedor, não há garantias de que irá assumir.

Discussões jurídicas que darão muito pano pra manga até o pleito vindouro; entretanto, os panoramas precisam ser apresentados e discutidos.

Se recordar é viver, viva a lembrança da história vivenciada pelo ex-prefeito de Porto Velho Roberto Sobrinho (PT), que, a despeito de concorrer sub judice em 2016, largou em primeiríssimo lugar na pesquisa inaugural lançada pelo Ibope ainda no primeiro turno. Urnas abertas, derrota amarga exposta, figurando em 5º lugar.

Em relação a Ivo Cassol, são tantas coisas ruins, arsenal bélico reforçado a serviço dos adversários, decisões judiciais desfavoráveis e um mandato fraquíssimo ainda por cima, que, o homem que urrava a sangria, agora padece, definitivamente, de hemorragia eleitoral.

 

Autor / Fonte: Rondoniadinamica

Leia Também

Comentários