Empresa pivô do escândalo dos R$ 30 milhões da ponte manobra para liberar resto do pagamento na Justiça de Rondônia

Empresa pivô do escândalo dos R$ 30 milhões da ponte manobra para liberar resto do pagamento na Justiça de Rondônia

Hermínio Coelho escancarou o esquema da ponte, já denunciado pelo Ministério Público à Justiça

Porto Velho, RO –  “Eu confio na Justiça de Rondônia. Acredito piamente nas decisões corretas e coerentes do Tribunal de Justiça (TJ/RO)”, declarou o deputado Hermínio Coelho, do PDT.

A declaração foi concedida assim que o parlamentar soube que a empresa Ouro Verde tenta, através do Judiciário, liberar R$ 12 milhões – de um total de R$ 30 milhões – salvos, até agora, pelas mãos do juiz de Direito Edenir Sebastião Albuquerque da Rosa, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Velho.

O agravo de instrumento apresentado pela empreiteira foi distribuído ao desembargador Raduan Miguel, da 1ª Câmara Cível do TJ/RO e exige a liberação imediata do montante remanescente, ora bloqueado pelo magistrado de primeiro grau.

Entretanto, as ações em que o Estado é parte somente podem ser julgadas pelas Varas de Fazenda Publica e, em grau recursal, pelas Câmaras Especiais do TJ/RO, por força de expressão de disposição regimental.

Por isso, o Ministério Público de Rondônia (MP/RO) já peticionou pedindo a imediata redistribuição do recurso, nos termos regimentais, para uma das Câmaras Especiais.

“A mim não importa quem dará a resposta: se o desembargador Raduan Miguel ou o colegiado. Importa, para todos nós, que o Judiciário não libere dinheiro a essa empresa envolvida em esquema, em roubo de dinheiro público. Contamos com o bom senso da Justiça de Rondônia, sempre consciente em seus julgamentos”, pontuou Hermínio.


Ezequiel Neiva: diretor do DER/RO tramou esquema para pagar os R$ 30 mi, segundo o MP/RO

Os R$ 30 milhões de Ezequiel Neiva

A empresa e os valores estão ligados ao esquema da ponte do Anel Viário de Ji-Paraná, denunciado por Coelho e já destrinchado pelo MP/RO.

A denúncia envolve diretamente a participação do diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagens de Rondônia (DER/RO), Ezequiel Neiva.

Segundo o promotor responsável pelo caso, Neiva, mesmo muito bem orientado por engenheiros e munido de pareceres técnicos contrários às suas pretensões, foi até Ji-Paraná acertar o pagamento de realinhamento a Ouro Verde no valor de R$ 30 milhões, tudo escondido, longe do radar das autoridades.

“Trama ardilosa para roubar dinheiro público”, definiu o MP/RO na denúncia ao relatar o enredo. 

Autor / Fonte: Assessoria / Dep. Hermínio Coelho (PDT)

Leia Também

Loading...