Bancada federal pressiona Dnit para recuperação da BR-364

Porto Velho, RO – A partir do próximo dia 20 os trabalhos legislativos será retomados 100% na Assembleia Legislativa (Ale). Os deputados estaduais poderiam aproveitar a investida da bancada federal de Rondônia, junto ao Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit), em tensa reunião esta semana em Brasília, cobrando melhorias na BR 364, principal rodovia federal de Rondônia e condições de tráfego o ano todo na BR 319, única ligação terrestre entre o Amazonas com os demais estados.

Os senador Valdir Raupp (MDB), Acir Gurgacz (PDT) e Ivo Cassol (PP) foram incisivos na cobrança de recuperação urgente de trechos da 364, que já estão sem condições seguras de trânsito e posterior restauração, uma posição que o Rondônia Dinâmica vem cobrando há tempos, não só da bancada federal, mas também do governo do Estado, deputados estaduais, prefeitos, empresários e produtores rurais.

Na audiência da última quarta-feira (7) Raupp cobrou com veemência o diretor do Dnit, Valter Casemiro e denunciou a necessidade de balanças ao longo da 364, no trecho entre Vilhena a Porto Velho, com cerca de 700km. Segundo Raupp, há apenas uma balança no trecho Ji-Paraná a Ouro Preto, mas que está há mais de 4 anos desativada.

A balança em Ouro Preto realmente existe, mas nunca funcionou com regularidade. O local foi reformado inúmeras vezes onde foram aplicados milhões de reais de forma incorreta, para não dizer corrupta. Reformas foram executadas, gasto muito dinheiro, mas o posto nunca funcionou.

Antes do fechamento definitivo (e mesmo fechado o posto de Ouro Preto passou por reformas e nunca mais foi reativado) a balança só funcionava no período de entressafra da produção de grãos do Cone Sul e região Central, além das grãos do sul do Mato Grosso para o Porto Graneleiro de Porto Velho. Um assunto que poderia ser investigado pelo Ministério Público Federal (MPF). Por que foram feitas várias reformas e o posto não foi reativado? Por que fiscalizar veículos de carga, apenas na entressafra?

A 364 foi construída na década de 80. Hoje o bitrem, por exemplo, transporta 50t e a rodovia não tem estrutura para suportar o volume de carga. Na década de 80 uma “jamanta”, transportava 15t.

Como não ocorre uma restauração e readequação da BR 364 e todo ano a conversa dos políticos é sempre a mesma: “estamos cobrando do Dnit o tapa-buracos”. A dedução é que alguém está levando vantagem, pois todo ano o Dnit investe milhões em tapa-buracos, trabalho paliativo, que só favorece as empreiteiras e nunca o usuário.

A precariedade da BR 364 é uma vergonha a políticos e empresários da região Norte. A impressão é que falta notoriedade as eles juntos aos órgãos federais. O Acre depende apenas da rodovia, pois não tem ligações terrestres com outros estados. A bancada federal do Acre deveria se unir a de Rondônia, nesta investida pela recuperação, readequação e restauração da 364 iniciada esta semana.

Rondônia é um dos poucos estados do país com economia equilibrada e que, ainda, oferece condições para o progresso e o desenvolvimento em todos os níveis. Aqui, ainda, há condições de se vencer na vida, econômica, social e financeiramente, a não ser para pessoas que não se preparam e nem têm vontade de lutar para um futuro melhor.

Vamos unir forças, políticos, empresários, produtores rurais, profissionais liberais e garantir para muito breve uma BR 364 restaurada, duplicada e segura deixando de ser um “Cemitério Humano”.

A BR 319 é assunto para outra oportunidade. 

Autor / Fonte: Waldir Costa / Rondônia Dinâmica

Leia Também

 
Loading...