Léo Moraes se pronuncia sobre greve do transporte coletivo na capital

Léo Moraes se pronuncia sobre greve do transporte coletivo na capital

Os trabalhadores do transporte coletivo de Porto Velho paralisaram suas atividades. A greve por tempo indeterminado, foi acarretada por problemas salariais junto ao Consórcio Sistema Integrado Municipal (SIM).

O Deputado Estadual Léo Moraes se pronunciou com relação a paralisação dos ônibus e enfatizou que “a empresa contratada precisa dar mais atenção aos seus trabalhadores e cumprir com o que foi acordado. O município não pode protelar para resolver de uma vez por todas essa questão, afinal, temos mais de 60 mil pessoas que dependem do transporte coletivo na nossa capital. ”

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Transportes Coletivo Urbano (Sitetuperon), o Consórcio SIM suspendeu o reajuste de 4% dado aos trabalhadores e ainda descontou, de uma única vez, os valores, relativos ao aumento, pagos nos últimos quatro meses.

Já o Consórcio SIM, afirmou que mantém os honorários em dia e todos os benefícios dos funcionários, mas que tenta negociações para que o serviço seja retomado o quanto antes.

O Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região (TRT 14) determinou o retorno parcial do transporte coletivo em Porto Velho. Segundo o órgão, no mínimo 90% da frota em horário de pico, no período das 6h às 20h e 70% nos demais horários. Em caso de descumprimento da decisão judicial, será aplicada multa de R$100 mil por dia, além de R$10 mil por veículo.

Léo Moraes disse que sempre foi crítico ao serviço de transporte para os portovelhenses e lembrou que a antiga administração municipal disse que iria acabar com o monopólio, mas não cumpriu. O parlamentar ainda enfatizou a concorrência de empresas que gera qualidade nos serviços para a população.

“Não é de hoje que discutimos sobre a questão do transporte público da capital. Quando fui vereador, fui autor do pedido da abertura de um CPI para colher informações sobre a precariedade dos coletivos, mas foi arquivado. Também fiz denúncias ao Tribunal de Contas e Ministério Público para melhorias no serviço. Precisamos de terminais de verdade, maior e melhor frota com ônibus confortáveis e aumento de linhas para atender a cidade. Queremos qualidade no transporte oferecido para a população, sem improvisos. ” Concluiu Léo.

Autor / Fonte: Assessoria parlamentar

Leia Também