O resgate do carnaval popular

Lenha na Fogueira

A prefeitura de Porto Velho depois de alguns anos, trás de volta o Carná-Leste. A brincadeira que concentra os foliões da Zona Leste que este ano, vai sair da praça do CÉU levando os blocos daquela área da cidade.

********

Um dos blocos que também volta a desfilar na tarde desta terça, é o Bloco do Reggae comandado pelo Zeca Pedra.

********

A escola de samba Acadêmicos da Zona Leste também vai prestigiar a programação da prefeitura de Porto Velho apresentando seu samba enredo durante a realização do Carná Leste.

********

Não tem como não elogiar a iniciativa da Funcultural na pessoa do Ocampo Fernandes pelo resgate de uma tradição, que por força da desorganização de gestões anteriores deixou de acontecer. O Carná Leste é um evento que nasceu dentro da Fundação Cultural do município de Porto Velho à época da chamada Fundação Iaripuna.

********

Hoje o folião da Zona Leste vai ter até uma Banda composta por músicos de ponta comandados pelo maestro Alkbal Sodré tocando marchinha, frevos e sambas para todo mundo brincar carnaval sem pagar nada ou ter que comprar abadá ou outra fantasia.

********

Só esperamos que algum órgão da segurança, queira dar uma de coordenador do carnaval de rua de Porto Velho. O carnaval de rua de qualquer lugar é de responsabilidade da prefeitura.

********

A Polícia Militar tem apenas que ficar atenta para evitar que os vândalos pratiquem algumas coisas impróprias e não querer impedir a realização do evento, exigindo Alvará e outros documentos, como aconteceu no carnaval do Bloco Canto da Coruja quando um oficial queria porque queria, que a direção do bloco, apresentasse o documento autorizando a interdição do espaço aonde a festa estava acontecendo, quando essa liberação já havia sido dada para o bloco Us Dy Phora que esteva concentrado na mesma rua do Coruja. É preciso que cada um cuide da sua área. O certo era o oficial militar ter consultado a equipe da prefeitura inclusive a da Funcultural que estava presente com seu presidente Antônio Ocampo, para saber sobre se a documentação do bloco Canto da Coruja que estava em dia.

********

Houve protestos quando a polícia mandou parar o som e a folia segura do Canto da Coruja e depois de muita conversa e autorização de superior, liberaram a festa.

********

Foi um caso isolado que precisa ser evitado. Essas atitudes desgastam a Polícia Militar que está realizando um ótimo trabalho, neste carnaval

*********

O comandante que estava responsável pela segurança da Banda do Vai Quem Quer agiu como um verdadeiro gentleman. Quando deu a hora solicitada pela direção para a Banda parar, ele simplesmente chegou com a coordenação do bloco e educadamente falou: “Será que já devo solicitar o encerramento do desfile?”. Poxa vida que atitude louvável. Obrigado comandante pelo respeito para com o folião. Siça imediatamente autorizou que a Banda da Banda parasse de tocar. Muito diferente do comandante do ano passado.

********

Por falar nisso, o Baile Infantil que a prefeitura promoveu no Mercado Cultural foi sucesso. Milhares de foliões brincaram carnaval junto com a gurizada.

********

Aí aconteceu outra falta de respeito para com a nossa população. Não sei qual o combinado, mas, a equipe da Eletrobrás chegou lá e “ordenou” a paralisação imediata da festa, assim que deu a hora solicitada pela Funcultural. Os caras estavam lá com uma equipe pronta para desligar a energia.

********

Que história é essa, em Porto Velho o carnaval tem hora pra acabar e essa hora ou é determinada pela Companhia de Eletricidade ou pela Segurança.

********

É preciso que se tome providências perante a maldita Lei 190 para que essas coisas parem de acontecer nos eventos culturais de nossa cidade capital.

Desfile da Vai Quem Quer e o carnaval de em PVH

Nem mesmo a torrencial chuva que desabou sobre Porto Velho no último sábado 10, e que passou momentos antes do início do desfile da Banda do Vai Quem Quer, fez com que o folião de Porto Velho deixasse de prestigiar a festa dos 38 anos do maior bloco de rua da região Norte.

A direção do bloco estava apreensiva, pois no ano passado, a chuva atrasou a saída e prejudicou o desfile, este ano, São Pedro foi mais camarada, pois fechou as torneiras do céu, por volta das três horas da tarde e então como se fosse uma avalanche, o povo começou a chegar a concentração. A presidente Sicília Andrade – Siça (almoçamos juntos), a todo minuto preocupada dizia “Meu Deus passe essa chuva logo”, tudo indica que suas preces foram ouvidas, pois, logo o tempo ficou agradável e as 17 horas e trinta minutos, ela proclamou a famosa frase criada pelo seu pai Menelão: “Para tristeza de poucos e alegria de muitos, a Banda está na rua”. Foi um dos melhores desfiles. Quantos participaram? 50, 70, 100 Mil foliões não interessa, o que importa é que foi um desfile sem nenhum incidente.

Demais Blocos

Sexta feira dia 9, quem desfilou foi o bloco Us Dy Phora considerado o bloco que mais coloca folião vestido com abadá.

Depois de alguns anos, o bloco Canto da Coruja voltou a reunir seus simpatizantes e fez um belo carnaval (parado), em frente a residência do seu fundador Cesinha. O carnaval do Coruja foi bastante elogiado pelos foliões.

Domingo dia 11, foi a vez do bloco que oferece o melhor Opem Bar o bloco Murupi que desfilou pelo circuito Caiari levando milhares de foliões.

O carnaval em Porto Velho segundo autoridades da segurança, foi tranquilo, pelo menos até os desfiles de domingo.

PORTO VELHO

O resgate do carnaval popular pelos bairros da cidade – de graças

Há muitos anos, o carnaval de rua Porto Velho não alcançava tanto sucesso como o deste ano de 2018.

Graças a decisão do presidente da Funcultural Antônio Ocampo Fernandes e sua equipe, em colocar bandas tocando músicas carnavalescas nas Zonas Sul, Norte, Leste e no Centro sem que o folião precisasse comprar abada ou camiseta para ter acesso à folia. Essa foi a grande sacada da prefeitura municipal. Lembramos os tempos do “Carnaval na Praça” e do “Carnaval do Povo” o primeiro patrocinado pela prefeitura e o segundo pelo governo do estado nos anos 1980/90 e meados dos anos 2000.

Desta feita a prefeitura mudou o estilo e levou o carnaval para os bairros, facilitando e muito, a participação do público. Entre esses eventos, os que mais se destacaram, foram os que aconteceram no Calçadão Manelão em frente ao Mercado Cultural, inclusive a festa especial para as crianças que aconteceu domingo passado 11.

As bandas contratadas para animar esses eventos, contaram com músicos da melhor qualidade que selecionaram as melhores marchinhas e sambas, nacionais e locais.

Nesta terça feira 13, a festa patrocinada pelo município vai acontecer na Zona Leste com a reativação do Carná Leste.

É de fazer chorar, quando o dia amanhece...

Autor / Fonte: Zekatraca

Leia Também

 
Loading...