Palestras sobre soja e impacto econômico encerram Feira Empresarial do Vale do Guaporé

Palestras sobre soja e impacto econômico encerram Feira Empresarial do Vale do Guaporé

Sexta edição do evento foi realizada durante três dias

O último dia da 6ª Feira Empresarial do Vale do Guaporé (Fevale) foi dedicado à cultura da soja. A espécie vem ganhando espaço na região graças à planície da localidade aliada à qualidade das terras no Vale do Guaporé, o que possibilita boa rentabilidade. A 6ª Fevale foi realizada entre os dias 5 e 7 de julho, na Praça Municipal de São Miguel do Guaporé, por meio do convênio nº 120/PGE/2016 da Superintendência Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura (Sedi), com apoio do Sebrae em Rondônia. Além de exposição de implementos agrícolas, o evento contou com a presença do comércio local.

A cultura da soja é um dos investimentos do produtor rural Rudi de Ross. Atualmente com 1.500 hectares de lavoura em São Miguel do Guaporé e mais 1.200 no município de São Francisco do Guaporé, ele conta que colheu, na safra 2017/2018, 62 sacas por hectare plantado. De Ross destacou que usa a diversificação de culturas de soja e milho para melhor aproveitar o solo e as palestras que acompanhou na feira foram importantes para a sequência da produção. “Nós, os produtores, precisamos agradecer aos órgãos como o Sebrae, que se juntam a outras entidades para realizar essa feira e trazer conhecimento para o nosso dia a dia”, agradeceu o produtor.

O pensamento é seguido pelo presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de São Miguel, Miguel Ramires. “Enquanto representante dos produtores de soja aqui na nossa região, entendemos que as palestras são de muita valia para nosso segmento, até porque a soja já é uma realidade na nossa região e a tendência é crescer cada vez mais. As palestras oferecidas são muito benéficas para cada um de nós”, ressaltou. Miguel disse ainda que os produtores já estiveram muito distantes dos órgãos do setor e a feira trouxe a aproximação que eles necessitam.

Nayara Oliveira é engenheira agrônomica e foi responsável pela palestra “Produção de Soja”. Agente de desenvolvimento da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja) de Rondônia, ela aproveitou para destacar que a missão da instituição é desenvolver a produção de soja no estado, focada em levar oportunidade de projeção no setor. Sobre o impacto dessa iniciativa, tema da palestra, Nayara lembrou que, atualmente, não existe mais ponto negativo na cultura da soja em Rondônia como antigamente. “O produtor de soja é visto hoje como uma pessoa que veio para desenvolver a região e esse é um fator muito importante. O plantio de soja está enriquecendo a nossa região”, definiu.

Outro que discursou na feira foi o professor da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Anderson Bergamin, que tratou o tema manejo do solo na região. De acordo com o palestrante, que é referência no assunto, a ideia é apresentar aos produtores algumas noções de como aproveitar melhor o solo e ajudar a desenvolver a região. “Esse contato mais próximo com o produtor ajuda para que todas as dúvidas sejam sanadas e o interesse deles em como manejar o solo é importante”, ressaltou o professor. Anderson destacou também que tanto as palestras dentro da Fevale como a presença dos beneficiados representam o interesse comum em aumentar a produção.

A presença do Sebrae em tempo integral no evento se deu por meio do escritório de Rolim de Moura. Para Domingos Oliveira, gerente local do Sebrae, a feira serviu para fomentar a economia e apresentar novas tecnologias. “Eventos como esse são importantes porque visam fazer com que os empresários e produtores rurais possam acessar o mercado, buscar novos clientes e fazer bons negócios. Por isso o Sebrae apoiou a 6ª Fevale, por entender a necessidade de discriminar conhecimento”, assegurou Domingos.

Para saber mais informações sobre os serviços do Sebrae em Rondônia, entre em contato pelo telefone 0800 570 0800 ou diretamente com o escritório do Sebrae em Rolim de Moura, localizado na avenida 25 de Agosto, nº 6.172, Bairro Industrial.

Autor / Fonte: Assessoria / Sebrae-RO

Leia Também