PT poderá ter novo presidente em Rondônia, Cláudia Moura decepcionou com baixa votação, Sílvia Cristina e Cristiane Lopes despontam como lideranças

 

PT – A retirada do PT da coligação Juntos por um novo tempo para Rondônia (PDT, PSB, PP, PR, PTB, SD, PSDC e PTC), liderada pelo candidato a governador Acir Gurgacz, que não conseguiu o registro de sua candidatura, para garantir a de Fátima Cleide (PT) ao Senado prejudicou a reeleição do único deputado estadual do partido, Lazinho da Fetagro (Jaru) e criou uma crise interna. Lazinho tendo apenas o Psol como aliado pediu votos ao Senado e ao governo, também a candidatos de outros partidos, na sua campanha vitoriosa à reeleição, apesar de todas as dificuldades. Lazinho poderá perder a presidência e até ser expulso do partido. É o que dizem membros ativos do PT. O imbróglio promete.

Deputados – A expectativa de renovação em 50% na Assembleia Legislativa (Ale) foi confirmada, após a abertura das urnas. Dos 24 deputados eleitos, 12 foram reeleitos e terão mais quatro anos pela frente. A Casa do Povo ficará, a partir de fevereiro do próximo ano sem deputados atuantes, como Jesuíno Boabaid (PMN-PVH), Léo Moraes (Podemos-PVH), que se elegeu federal; Airton Gurgacz (PDT/Ji-Paraná), Cleiton Roque (PSB-Pimenta Bueno), que estava inelegível; Ezequiel Júnior (PRB-Machadinho), Hermínio Coelho (PCdoB-PVH), Geraldo da Rondônia (PSC-Ariquemes), Marcelino Tenório (PRP-Ouro Preto), Ribamar Araújo (PR-PVH), Só na Bença (MDB-Parecis), Saulo Moreira (MDB-Ariquemes) e Maurão de Carvalho (MDB-Andreazza), que disputou o governo.

Promessas – Candidatos a deputado (estadual e federal) que não foram eleitos e demonstraram potencial de voto ficaram pelo meio do caminho, mas estão com meio caminho andado para as próximas eleições. Ficaram de fora candidatos bem votados como Irma Fogaça (PHS), Williames Pimentel (MDB), professor Aleks Palitot (PTB), Ari Saraiva (PSB), Alan Queiroz (PSDB), ex-prefeito Dico (Solidariedade), Júnior Raposo (PP), Edinaldo “Caico” Cardoso (Podemos), Célio Silveira (Patriotas), Jurandir Araújo (Podemos), todos com votação entre 7 mil a 10 mil votos. Todos em condições de sucesso nas próximas eleições.

Federal – Dois nomes se destacaram na campanha política à Câmara Federal nas eleições deste ano. A vereadora de Ji-Paraná, Sílvia Cristina (PDT) se elegeu deputada federal superando nomes de expressão como a deputada Marinha Raupp (MDB), que obteve pouco mais de 18 mil votos. Sílvia Cristina somou 33.038 votos. A vereadora de Porto Velho, Cristiane Lopes (PP) não se elegeu deputada federal, mas com uma campanha pé no chão e olhando nos olhos das pessoas conseguiu mais de 20 mil votos. É uma liderança emergente que precisa e deve ser mais bem lapidada, porque tem condições de subir degraus mais elevados na política regional.

Federal II – Na política também há candidatos que, apesar de contarem com estrutura e apoio político não conseguem cativar o eleitorado. Esperava-se da advogada Jaqueline Cassol (PP), eleita com 34.193 votos, que já foi candidato a governador em 2014 uma votação maior. Desde a sua derrota em 2014 passou a trabalhar uma candidatura à Câmara Federal em Cacoal, como secretária municipal e organizando cursos técnicos em várias regiões. Já a votação de Cláudia Moura (MDB), irmã do senador eleito e ex-governador Confúcio Moura (MDB), foi decepcionante: 3.334 votos.

Respigo

O feriado nacional de hoje (12) Dia de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil esvaziou Porto Velho. Ruas e avenidas estão às moscas, mas o Aeroporto Internacional Jorge Teixeira e o Terminal Rodoviário estiveram movimentados, além do normal desde à tarde de quinta-feira (11) +++ O deputado estadual Eurípedes Lebrão (MDB-São Francisco), o mais bem votado nas eleições do último dia 7 esteve com o gabinete na Ale lotado desde a última segunda-eira (8). Além dos visitantes normais devido a sua função de 1º secretário da Casa de Leis, Lebrão recebeu uma boa parcela de amigos que foram felicitá-los peta votação expressiva, na segunda reeleição, com mais de 20 mil votos +++ A escolha do novo governador de Rondônia tem movimentado os políticos desde a apresentação do resultado, que colocou Expedito Júnior (PSDB) e o Coronel Marcos Rocha (PSL) no segundo turno, que acontecerá no próximo dia 28. Ibope e Real Time/Big Data, Globo e Record, respectivamente “pisaram” na bola no primeiro turno, tanto para o governo do Estado como para o Senado nas suas pesquisas em Rondônia. Não há registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de pesquisa de nenhum dos dois institutos, mas o povo está “veiaco” com os dois.

Autor / Fonte: Waldir Costa / Rondônia Dinâmica

Leia Também

 
Loading...