Tudo se encaminha para que Daniel Pereira assuma o Governo na primeira semana de abril

Tudo se encaminha para que Daniel Pereira assuma o Governo na primeira semana de abril

ENFIM, UMA VOZ COM CORAGEM PARA ENFRENTAR AS TRUCULÊNCIAS DO IBAMA

Dominado por petistas há anos (e a maioria deles ainda está lá), o Ibama segue a cartilha partidária, com apoio de parte do Ministério Público Federal e de parte do Judiciário, para impor sua vontade sobre as questões ambientais. Na maioria dos casos, cumpre a legislação, criada exatamente por parceiros ideológicos, tratando quem trabalha e produz na Amazônia como bandido. Claro que os há, até em profusão, principalmente madeireiros ilegais, destruidores da floresta e membros de grupos de sem terra que, onde invadem, transformam tudo em área arrasada. A única diferença é que, na maioria dos casos, quando a destruição ambiental é feita por gente do MST, da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) e outros movimentos, aí não aparece nem Ibama, nem MPF e nem Judiciário para intervir. Rondônia tem sido vítima do Ibama e seus exageros há anos. O país trocou o governo dos petistas, derrubado por outro, que está caminhando para ser pior ainda, de Michel Temer, mas parece que os superpoderes do Ibama continuam intactos. O órgão manda até mais que o Judiciário. Legalmente. Seus fiscais podem, por exemplo, a seu bel prazer, destruir máquinas, equipamentos, balsas, dragas, incendiando-as e não precisando prestar contas a ninguém. Recentemente, na região de Humaitá, o que se viu foi uma reação dos garimpeiros (que estavam errados e deviam ser processados na forma da lei), que tiveram seus bens destruídos pelos membros do todo poderoso Ibama. Em represália, garimpeiros e suas famílias puseram fogo no prédio e em veículos do Ibama. Imediatamente representantes das Forças Armadas foram enviadas para lá, para conter os protestos. Nunca o foram para proteger as vítimas da força bruta do Ibama.

Agora, depois de tantos desmandos e tantas ações truculentas, ao menos ouve-se uma voz com coragem suficiente para vir a público e confrontar o Ibama. O órgão foi corresponsável  por um enorme prejuízo à exportação de madeira de Rondônia e até de vizinhos bolivianos, ao abrir cargas, em Manaus, que já havia sido vistoriadas e liberadas por aqui, em todos os níveis de fiscalização. Lá no Amazonas, as decisões dos mesmos órgãos foram ignoradas. Milhões de reais em prejuízos, empregos colocados em risco e, pior, grande perigo para nossas futuras exportações. Como o Ibama local, que tinha autorizado a madeira a ser exportada, não fez absolutamente nada para contestar o que o mesmo órgão fez em Manaus, o vice governador e futuro governador Daniel Pereira exigiu, em entrevista ao jornalismo da SICTV/Record, a imediata exoneração do superintendente do Ibama, Carlos Alberto Paraguassu Chaves. Ao menos alguém criou coragem para enfrentar esses abusos. Pode até não ser ouvido, mas Daniel está mostrando que não vai se calar ante essas decisões ideológicas que nos prejudicam.

JESUALDO VAI MESMO!

No carnaval, aparentemente há uma pausa nas questões da política. Só aparentemente. Porque todos os pré candidatos, muitos dos quais em campanha aberta, estão percorrendo o Estado atrás do eleitor. Há os que aproveitaram os últimos dias para reflexão e análise do quadro no Estado para, a partir daí, tomarem decisões. Foi o caso, por exemplo, do prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires, que está realizando uma das melhores administrações da história da cidade. Depois de muitas conversas, reuniões, encontros com amigos e correligionários, ele finalmente bateu o martelo: será sim candidato ao Senado, em outubro. Jesualdo deve renunciar ao cargo de Prefeito até o início de abril, passando o comando da cidade ao seu vice, o empresário Marcito Pinto, do PDT e se lançando numa grande batalha para ocupar uma das duas vagas ao Senado, Jesualdo começa já com o apoio do futuro governador Daniel Pereira, que assume em 5 de abril e que já avisou que vai apoiar dois nomes para a disputa senatorial: o próprio Jesualdo e o atual governador Confúcio Moura, a quem vai suceder. Na composição para a eleição, o PSB de Jesualdo apoiará Acir Gurcz para o Governo.

QUE DANIEL FIQUE SABENDO!

Por falar em sucessão no Estado, já que tudo se encaminha para que Daniel Pereira assuma o Governo na primeira semana de abril, já se nota movimentações de aliados em busca de informações no atual governo. Dicas quentíssimas, vindas de dentro de algumas secretarias, dão conta que há constantes visitas, estranhíssimas, de pessoas querendo ter acesso a informações sobre contratos, sobre convênios, sobre quando terminam determinadas contratações e coisas desses tipo. Não se ouviu, ao menos até agora, alguém que tenha feito pesquisa sobre o que pode ser feito para melhorar a vida da população, que novos projetos podem ser criados, que contratos devem ser encerrados ou ampliados no interesse público. Como se sabe quem é Daniel Pereira e sua forma de agir, com sua vida pública, ao menos até agora, vivida pela lisura, ele certamente não deve saber dessas excrescências. Espera-se que Daniel chame imediatamente essa turma e dê-lhes um Sossega Leão moral, para que caiam fora do Palácio e que nele não ponham seus pés, a não ser se tiverem ideias, iniciativas e projetos de interesse da maioria dos rondonienses. Fora, hienas do dinheiro público!

SOBRE UM CARNAVAL PASSADO...

Deve ser um recorde. E muito positivo. Num longo percurso e com a participação de mais de 100 mil pessoas, a polícia não registrou sequer uma ocorrência mais grave no sábado, durante a passagem da Banda do Vai Quem Quer. A Banda da Siça foi um espetáculo e alegria e paz, com raríssimas exceções. Na festa da Capital, a nota triste foi para o Carnaval da Jatuarana, onde algumas dezenas de vândalos destruíram lojas e enfrentaram a polícia. Alguns desses  vagabundos foram presos e logo depois liberados. Dezenas de outros canalhas continuam soltos. Já no trânsito, em Rondônia, lamentos, de novo!  Pelo menos meia dúzia de mortes (num dos acidentes, duas mulheres morreram, em Jacy Paraná) e muitos feridos deixaram ,um rastro de sangue nas ruas das cidades e nas rodovias, como em todos os carnavais, infelizmente. Em todo o país, no geral, o carnaval foi bom, no quesito paz. Nos desfiles das escolas no Rio de Janeiro, cidade que está vivendo uma guerra civil, houve poucas ocorrências. Mas, é claro, a violência ocorreu em vários pontos da cidade e nas favelas, como sempre. Estamos vivendo momentos de dor e tristeza, com tantos bandidos nas ruas. Mas ao menos no carnaval, as coisas foram um pouquinho menos terríveis. Uma pausa, apenas, infelizmente!

NÃO TEM MAIS COMO ENGANAR!

Quando a grande mídia, liderada pela Rede Globo, começou a tentar criminalizar as ações policiais, invertendo a ordem real da violência, criando um escudo para que os criminosos parecessem vítimas e os policiais criminosos, houve um grupo de intelectuais, ensandecidos por sua ideologia absurda e doente, que aplaudiu. A culpa era da sociedade, como sempre, que não dava oportunidade aos pobres coitados que, sem saída, tornaram-se membros do tráfico e do crime organizado. Essa teoria nojenta faz parte do mesmo pacote aquele, do tipo que diz que Lula é inocente de todos os crimes que cometeu e que a verdadeira culpada é a Justiça brasileira, que o condenou duas  vezes e, certamente, condenará mais umas dez. Agora que há um desespero generalizado, com crime brutais contra pessoas inocentes, contra crianças, contra jovens; quando os bandos atacam os turistas nas ruas e nas praias; quando os tiroteios à base de fuzis que abundam nas mãos do crime, não há mais como continuar enganando e nem impondo histórias baseadas na hipocrisia e nas teorias ideológicas. A verdade é simples: ou o Brasil muda tudo no combate ao crime ou entrega o país aos bandidos. Não tem mais meio termo.

INFORMAÇÃO  “APARELHADA”

Há uma grande crise  humanitária atingindo Roraima. A Capital, Boa Vista, teve sua população aumentada em perto de 15 por cento em menos de um ano, invadida por uma horda de venezuelanos, desesperados pela fome e pela violência, causadas pela ditadura de Nicolás Maduro. O presidente Michel Temer foi lá, acompanhado de ministros, para tentar encontrar saídas para essa terrível crise, que atinge milhares de pessoas e que pode levar uma cidade ao colapso. Qual o destaque da grande mídia? Ah, mais que tudo foi o protesto de menos de 300 pessoas, sindicalistas, membros dos partidos de esquerda, sem terra, ou seja, a minoria de sempre, gritando Fora Temer e outras palavras de ordem que já dão enjoo, por vazias. O esforço do Presidente e seu governo em encontrar uma saída para a situação dos venezuelanos ficou, no noticiário, quase como um detalhe insignificante. A mídia, dominada pela esquerda, decide o que o brasileiro deve ler e saber. E, para ela, é muito mais importante o grito de meia dúzia de tresloucados ideológicos do que o plano nacional para ajudar Roraima e os Venezuelanos. Uma vergonha!

A DIVISÃO DO PT

Depois de criticar duramente seu partido, o pré candidato ao Governo pelo PT, Marcos Pereira, deu uns passos para trás. Não quis ficar mal com todos os seus companheiros, a quem acusava, entre outras coisas, de terem se vendido para a candidatura de Acir Gurgacz, do PDT e de terem se transformado em quase tucanos, por estarem sempre em cima do muro. Ele divulgou nova nota, dizendo os nomes que apoiará nas eleições de outubro: Fátima Cleide e o Professor Pantera (que é do PCdoB) para o Senado; Padre Ton e Edson Silveira, para deputado federal e Roberto Sobrinho, para deputado estadual. Observe-se que Marcos ignora uma das principais lideranças do seu partido, o deputado de Jaru, Lazinho da Fetagro, que é o presidente regional do PT. E que, claro, não quer nem ouvir falar numa candidatura de Marcos Pereira, quem ele acha, embora não fale publicamente, que não tem chance alguma de concorrer pelo partido. Aliás, o PT, oficialmente, continua dizendo que não decidiu nada ainda em relação às eleições de outubro e que começará a se definit a partir de março.

PERGUNTINHA

Se você fosse premiar a melhor fantasia do carnaval que recém acabou, daria o troféu para a  do “Contribuinte Assaltado por Tantos Impostos e Taxas “ou para o Otário que Paga um Preço Abusivo pela Gasolina?”

Autor / Fonte: Sérgio Pires

Leia Também